SIMPÓSIO 10 – ENTRE A LINGUÍSTICA E A DIDÁTICA: A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE PORTUGUÊS E O CONHECIMENTO LINGUÍSTICO

Coordenadores: 

Adriana Baptista - Instituto Politécnico do Porto/CLUL/inED - adrianabaptista@ese.ipp.pt
Celda Choupina - Instituto Politécnico do Porto/CLUP/inED - celda@ese.ipp.pt

Resumo: 

A formação sólida do professor de português e o seu conhecimento linguístico, bem como a sua atualização no campo da investigação e a reflexão criteriosa e cientificamente (in)formada permitem-lhe a construção de materiais pedagógicos adequados aos objetivos pedagógicos e ao nível do desenvolvimento linguístico dos estudantes, bem como à sua realidade sociolinguística.

Não podemos ignorar que o ensino da língua depende do ensino da gramática e este, por sua vez, da reflexão e dos conhecimentos advindos da Linguística: “o tratamento da língua em sala de aula é uma questão, num certo sentido, principalmente linguística (com tudo o que envolve o fenómeno linguagem)” (Marcuschi, 2002: 1).

Nesta perspetiva, o sucesso do ensino da gramática e da sua aprendizagem passa, indiscutivelmente, pelo conhecimento linguístico do professor e as pontes que este estabelece com a Linguística enquanto disciplina que subjaz à investigação-ação pedagógica (Fonseca, 2001; Pinto, 2009).

Enquanto investigadores no campo da Linguística e docentes envolvidos na formação linguística de professores, ao nível teórico e profissional, interessa refletir sobre: (i) as bases teóricas que apoiam o ensino da gramática; (ii) as teorias mais adequadas ao nível descritivo; (ii) o papel da Linguística na definição da terminologia gramatical a utilizar em contexto pedagógico; (iv) o uso criterioso em termos qualitativos e quantitativos na terminologia linguística em contexto de aula; (v) critérios linguísticos para a seleção de manuais e auxiliares didáticos e para a construção de materiais pedagógica e cientificamente adequados.

Partindo de abordagens linguísticas, disciplinares ou multidisciplinares, sobre fenómenosda Língua Portuguesa, aceitam-se, neste simpósio, comunicações, em diversos quadros teóricos, que articulem a investigação em Linguística com a importância do conhecimento linguístico do professor de língua no ensino da gramática.

Palavras-chave: Linguística. Investigação-ação. Formação do professor de Português; Português L1 e L2. Ensino da gramática.

Minibiografias: 

Coordenador 01 – Adriana Baptista
Professora Coordenadora da Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto, doutorada em Psicolinguística pela FLUL, investigadora do CLUL e do inED, coautora de materiais pedagógicos no âmbito da promoção da leitura.

Coordenador 02 – Celda Choupina
Professora Adjunta da Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto, doutorada em Sintaxe pela FLUP, investigadora do CLUP e do inED, autora de materiais pedagógicos e revisora de gramáticas de português.

Referências: 

Baptista. A. et al. (2013). Representação e Aquisição do Género Linguístico em PE: alguns contributos a partir da análise de materiais pedagógicos. In Atas do IV Simpósio Mundial de Ensino da Língua Portuguesa. Língua Portuguesa: ultrapassando fronteiras, unindo culturas. Simpósio 5. 216-224. Goiânia: Faculdade Letras da Universidade Federal de Goiás. Disponível em: http://www.simelp.letras.ufg.br/anais/simposio_05.pdf.

ISBN 978-85-8083-120-7 Fonseca, F. I (2001). «Apresentação». In Fernanda Irene Fonseca et al. (ogs.) A

Linguística na Formação do Professor de Português. Centro de Linguística da Universidade do Porto: Porto.Marcuschi, L. A. (2002). «O papel da Lingüística no ensino de línguas». Exposição disponível on line:
https://www.google.pt/#q=Marcuschi%2C+L.+A.+(2002)+O+papel+da+Ling%C3%BC%C3%ADstica+no+ensino+de+l%C3%ADnguas. Pinto, M. G. (2009). A linguagem ao vivo. In I. M. Duarte, O. Figueiredo e J. Veloso (Ogs.). A linguagem ao vivo. Textos selecionados de Maria da Graça Pinto. Porto: FLUP.