SIMPÓSIO 03 - LITERATURA EM TRÂNSITO: EM VIAGEM À CASA DO OUTRO

Coordenadores: 

Maria Fernanda Garbero de Aragão - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - nandagarbero@gmail.com

Giorgio de Marchis - Università degli Studi Roma Tre - giorgio.demarchis@uniroma3.it

Resumo: 

Em Cultura e Imperialismo, Edward Said afirmava que “Nenhum de nós está fora ou além da geografia, da mesma forma nenhum de nós está fora ou totalmente ausente da luta pela geografia. Essa luta é complexa e interessante porque não se restringe a soldados e canhões, abrangendo também idéias, formas, imagens e representações”. Em nosso simpósio, pretendemos analisar a relação entre literatura e lugares do mundo, discutindo como o romance contemporâneo em língua portuguesa ficcionaliza a experiência com um espaço outro, estrangeiro ou simplesmente alheio, a partir de autores e obras que propõem essa traduzibilidade inscrita na elaboração de suas personagens.

De resto, se os lugares são imprescindíveis na elaboração de um texto, também é verdade que os textos participam da construção e deconstrução dos lugares, não raro através dum processo de desterritorialização da língua. Nesta perspectiva, a experiência do trânsito nestas obras ajuda à discussão acerca das diferentes migrações experienciadas na contemporaneidade, bem como oferece interessantes miradas sobre as práticas de alteridade imbricadas nesses deslocamentos.

Logo, a casa do Outro e suas representações na ficção parecem-nos um pertinente caminho para pensar numa literatura que, ao ter em sua espinha dorsal os cenários como espaços de negociação, convida a novas interpretações a respeito também das diversas condições do exilado, do emigrante, do retornado, do refugiado, etc, cujas reinvenções tanto de sua nação como do país de imigração, ou mesmo com relação ao seu país de origem, evidencia uma dialética entre a deriva e uma permanência porosa, precária. Ademais do interesse entre essas relações, interessam3-nos as ficcionalizações a respeito das experiências pós-coloniais presentes nos projetos de alguns autores, que integram em suas composições novas leituras sobre os processos de violência e migração.

Palavras-chave: migrações; trânsito; alteridade; exílio; ficcionalização.

Minibiografias: 

Coordenador 01
Maria Fernanda Garbero de Aragão
Doutora em Literatura Comparada pela UERJ (2009), com a tese intitulada “Las Madres de Plaza de Mayo: à memória do sangue, o legado ao revés”, tem grande parte de suas pesquisas centradas na figura feminina. Atualmente, é professora Literatura Brasileira na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e pesquisadora convidada do Centro de Memoria de Las Madres de Plaza de Mayo, junto à Universidad Popular Madres de Plaza de Mayo, em Buenos Aires.

Coordenador02
Giorgio de Marchis
Doutor em Iberística pela Universidade de Bolonha. No âmbito das suas investigações, tem vários estudos sobre autores modernistas e sobre aspectos da literatura popular no século XIX. Desde 2012, colabora com a editora italiana La Nuova Frontiera, coordenando a coleção “Liberamente” dedicada à literatura contemporânea em língua portuguesa. Atualmente é professor associado de Literatura portuguesa e brasileira na Universidade de Roma Tre onde é também responsável da cátedra “Agostinho Neto”.