SIMPÓSIO 14 – GRAMÁTICA COMUNICATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA

Coordenadores: 

Liliane Santos - Université Charles-de-Gaulle - liliane.santos@univ-lille3.fr

Maria Luceli Faria Batistote - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - marialucelifaria@gmail.com

Resumo: 

Saber comunicar de maneira adequada às diferentes situações, conhecer diferentes gêneros textuais e padrões comunicativos orais e escritos são elementos centrais para a aprendizagem e a aquisição de uma língua não materna (LNM).
Porém, mesmo se nas últimas décadas os manuais didáticos de PLE/PLS têm-se efetivamente esforçado para levar em consideração os resultados da pesquisa linguística – principalmente no que diz respeito à autenticidade dos textos e à idiomaticidade dos exemplos –, o tratamento dado à gramática ainda deixa muito a desejar, pois a descrição tradicional do PLM continua a ser a base da descrição do PLNM. Também podemos dizer que as gramáticas descritivas do Português não privilegiam uma concepção comunicativa da gramática. Assim, acreditamos ser desejável a elaboração de uma gramática de base comunicativa para o português.
Com o quadro acima esboçado em mente, esta sessão tem por objetivo propor elementos para a reflexão sobre questões relativas à abordagem e à concepção comunicativa da gramática, bem como sobre aplicações desta abordagem ao ensino de Português. Deste modo, serão bem vindas contribuições que versem sobre:
• questões teóricas pertinentes para a elaboração de uma gramática comunicativa do Português;
• descrições dos elementos a levar em conta na elaboração de uma gramática do PLE/PLS, de acordo com os princípios da gramática comunicativa;
• a utilização da abordagem comunicativa em aula de PLE/PLS; e
• os aspectos pedagógicos envolvidos na utilização da abordagem comunicativa – por exemplo, a elaboração de materiais didáticos (exercícios, avaliações), os critérios necessários para atingir os objetivos da aprendizagem, o estatuto do erro, e estudos sobre como se dá a aprendizagem quando se utiliza a abordagem comunicativa da gramática.
Discussões teóricas sobre as questões envolvidas na elaboração de uma tal gramática, a apresentação de projetos de pesquisa, aplicada ou básica, em curso ou concluídos, bem como a apresentação de estudos quantitativos e qualitativos e relatos de experiência, são algumas das formas que poderão tomar os trabalhos.

Palavras-chave: Ensino-Aprendizagem de Línguas, Português Língua Não Materna, Gramática Comunicativa.

Minibiografias: 

Liliane Santos é licenciada em Letras (1986), bacharel em Linguística (1989) e mestre em Linguística (1991)pela Unicamp. Obteve o Diplôme d’Études Approfondies (1992) e o Doutorado (1996) em Sciences du Langage pela Université de Nancy 2 (França). Tendo atuado como professora em Nancy 2 (1996-1997) e na USP (1998-2001), desde 2001 é professora da Université Lille 3 (França). Atualmente, além das atividades docentes exerce funções de Coordenadora local e regional do CLES (Certificado de Competências em Línguas do Ensino Superior). Seus trabalhos concentram-se nas áreas de Português Língua Estrangeira e de Tradução.

Maria Luceli Faria Batistote é doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP (câmpus de Araraquara, Brasil). Professora Adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), com atuação na graduação no curso de Letras e na pós-graduação, Mestrado em Estudos de Linguagens, Mestrado em Comunicação e Mestrado Profissionalizante em Letras (PROFLETRAS). Desenvolve pesquisas nas áreas de Linguística Aplicada, Estudos de Discurso, Letramento e Formação de Professores.