SIMPÓSIO 15 - LINGUÍSTICA HISTÓRICA E ONOMÁSTICA: LÍNGUAS ROMÂNICAS, LÍNGUAS INDÍGENAS E LÍNGUAS DE SINAIS

Coordenadores: 

Maria Suelí de AGUIAR - Universidade Federal de Goiás - aguiarmarias@gmail.com
Maria Célia Dias de CASTRO - Universidade Estadual do Maranhão - celialeitecastro@hotmail.com

Resumo: 

Este simpósio tem como propósito discutir os processos de nomeação das pessoas, de nomes de lugares, de acidentes geográficos, das coisas e nomes próprios de todos os tipos; os seus aspectos linguísticos, além de alavancar conclusões sobre a imposição de poder no ato denominativo e a continuidade de uma prática nem sempre espontânea. Essa discussão se dará mediante apresentação de trabalhos em estudos onomásticos em línguas românicas, línguas indígenas e línguas de sinais.

Serão esperadas apresentações com especial ênfase na natureza filosófica e linguística desses nomes, com reflexões acerca da referência e dos referentes; as abordagens semióticas que discutam os aspectos simbólicos, icônicos e indiciários dos nomes (metonímia e metáfora); trabalhos que focalizem problemas sobre a terminologia onomástica; análises antroponomásticas, com o estudo de práticas denominativas em diferentes culturas e de como os nomes, os sobrenomes e os apelidos são usados pelos membros de uma sociedade; se esses antropônimos tendem à mudança de tempo e tempo e em quais circunstâncias; emprego da metodologia e os problemas que envolvem o contato desta área com a linguística; correlações entre onomástica, história, geografia e relações de poder, que determinam o processo dominador e denominador, ressaltando a relação entre antroponímia e toponímia; onomástica e processos de padronização/normalização dos nomes adotados em alguns lugares.

As descrições linguístico-históricas dos processos sintáticos, morfológicos e fonológicos de preservação e de mudança dos nomes, com ênfase nos marcadores onomásticos, são uma fonte muito rica dos aspectos linguístico-históricos de uma língua. A revisão teórica inicial que fundamenta essas discussões apoia-se principalmente nos trabalhos de Aguiar (2008), Carvalhinhos (2003), Castro (2009; 2012), Couto (2007; 2009), Dick (1990; 1992; 2007), Fonseca (1997), Piel (1948; 1974) e Vasconcelos (1928). Enfim, pretendemos que este simpósio sirva como um fórum de debate sobre as várias teorias onomásticas e suas respectivas aplicações práticas.

Palavras-chave: Linguística Histórica. Onomástica. Línguas Indígenas. Línguas Românicas. Línguas de Sinais

Minibiografias: 

Coordenador 01
Maria Suelí de AGUIAR
Possui graduação em Bacharelado em Linguística (1985), Mestrado (1988) e Doutorado (1994) pela Universidade Estadual de Campinas. Pós-Doutorado pela Universiteit Leiden (2005), Holanda. Atualmente é professora associada IV da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás. Realiza pesquisas em Linguística Histórica, Descrição de Línguas (indígenas e não indígenas) e Onomástica.

Coordenador 02
Maria Célia Dias de CASTRO – UEMA
Doutora em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Goiás (09.03.2012). Estágio de Doutorado Sanduíche (PDDE – CAPES) na Universidade de Lisboa, Portugal, em 2010. Professora Adjunta da Universidade Estadual do Maranhão, Centro de Estudos Superiores de Balsas – UEMA/CESBA, desde 2001. Realiza pesquisas na área de Linguística, com ênfase em Linguística Histórica e Ecolinguística. Atua principalmente nos seguintes temas: Toponímia, municípios maranhenses, região de Balsas-MA, sertanejo, língua, cultura e história.